Você está aqui: Página Inicial > Raio Ouvidorizador > Carnaval sem homicídio comprova sucesso da segurança e da democratização da festa

Notícias

Carnaval sem homicídio comprova sucesso da segurança e da democratização da festa

Denúncias

Campanha de combate à violência fez com que a folia de Salvador, em 2018, fosse a mais tranquila dos últimos anos
por OGU publicado: 19/02/2018 18h50 última modificação: 21/02/2018 18h24

O Carnaval da Bahia, que terminou na manhã desta quarta-feira (14) sem qualquer registro de morte ou tentativa de homicídio, atraiu 2,1 milhões de turistas ao estado, segundo estimativa da Secretaria do Turismo do Estado (Setur), sendo 750 mil apenas em Salvador. Os números, apresentados em coletiva no Hotel Sheraton, na capital, nesta quarta, fazem a folia de 2018 a mais tranquila dos últimos anos. O evento teve a participação de secretários de Estado e outras autoridades.

O secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa, destacou que o maior investimento que o Governo da Bahia fez no Carnaval foi em Segurança: R$ 45 milhões. “Nós devolvemos esses recursos em forma de resultados. A aprovação da atuação da Polícia Militar no circuito foi de 84,3%, da Polícia Civil de 95,9%, da Polícia Técnica de 79,5% e dos Bombeiros de 97%”.

Barbosa afirmou que o planejamento foi muito bem feito e muito bem executado. “Tudo aquilo que nós nos propusemos a fazer, nós conseguimos. Os portais foram um divisor de águas dos Carnavais. Desde que foi criado, em 2016, houve uma queda abrupta dos registros e este ano encerramos a festa sem homicídio e sem disparo de arma de fogo no circuito”.

Embora se mantenha estável em 2018, o número de lesões corporais segue uma tendência de redução ano após ano. Comparando os índices de 2011 aos de 2018, este tipo de crime caiu em 55,4%, passando de 222 para 99. Os crimes contra o patrimônio (roubos e furtos) seguiram o mesmo ritmo de decréscimo. Em 2018 foram 764 ocorrências contabilizadas, contra 919 no ano passado, representando, queda de 16,9%. Em relação a 2011 (968 x 764), a redução alcança a marca de 16,9%.

Políticas para as Mulheres

Pelo segundo ano, a campanha de enfrentamento à violência contra as mulheres do Governo do Estado, Respeita as Mina, foi à rua no Carnaval. A Secretaria de Políticas para as Mulheres do Estado (SPM) preparou uma série de ações que visaram desde a conscientização até o acolhimento de mulheres vítimas de violência durante a festa.

A diferença entre o assédio e a paquera saudável foi o mote da campanha Respeita as Mina para o Carnaval 2018. Frases como “Cantada pode, assédio não. Olhar pode, constranger não. Na boa pode, à força não”, foram trabalhadas durante todos os dias da festa para mostrar o que pode e não pode, sempre respeitando a vontade da mulher.

Combate à violência contra a mulher

Durante o Carnaval, o espaço para a mulher ser acolhida e receber todo o suporte necessário em casos de violência sexual, o Serviço AME, localizado no Hospital da Mulher, no Largo de Roma, em Salvador, prestou assistência a seis vítimas de violência, com idades entre 17 e 40 anos. O serviço atende integralmente mulheres e adolescentes a partir dos 12 anos que forem expostas a situações de abusos e violência sexual.

Promoção da Igualdade

O serviço de enfrentamento ao racismo no Carnaval, oferecido pelo Governo do Estado, alcançou a marca de 1.278 abordagens em seis dias de festa, através da equipe do Centro de Referência de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa Nelson Mandela. Durante a ação, profissionais qualificados entrevistaram foliões e trabalhadores, entre eles vendedores ambulantes e cordeiros.

As ações foram executadas pela Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) e também contaram com posto fixo na sede do Procon. No local eram oferecidas orientações jurídicas aos foliões, serviço integrado a diversos órgãos do Sistema de Justiça e secretarias estaduais.

Justiça e Desenvolvimento Social

O Plantão Integrado da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), em parceria com outros órgãos e entidades, divulgou que entres os dias 8 e 11 de fevereiro, foram registradas 1.776 ocorrências pelas equipes que atuam de forma fixa no Plantão e também pelas equipes móveis, que vão às delegacias, postos de saúde e outros locais.

Fonte: com informações de http://folhanobre.com.br